Visite Paranaense Humor e Noticias

BI CAMPEÃO

BI CAMPEÃO
COPA PMPR
script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js">

Colaborador

Colaborador
Vereador - Elias Rodovanski

STUDIO SOUL - ÁUDIO E VIDEO

STUDIO SOUL - ÁUDIO E VIDEO
FONE: 3036-1881 OU 9967-7134

Publicidade

MARINA BOESE SUSHI DELIVERY

MARINA BOESE SUSHI DELIVERY
30354986

sexta-feira, 29 de setembro de 2017



O caso da bebê que nasceu com quase 6 quilos em Cascavel, no oeste do Paraná, é considerado raro, afirma a pediatra Lorena Barbieri. De acordo com a especialista, as principais causas da macrossomia, como é chamada a condição, são a diabetes gestacional e a hereditariedade, e é mais comum em meninos.


Gabrielly Trevisan Ferreira, nasceu de cesárea no dia 19, no Hospital Universitário de Cascavel, com 5,720 quilos e 54 centímetros, cerca de 2 quilos acima da média para recém-nascidos, que é de 4 quilos, e o equivalente ao peso de um bebê de dois meses.



A menina nasceu no dia 19 e já emagreceu 600 gramas. "Isso é bom para ela", diz a mãe, Maiara (Foto: Arquivo Pessoal)


“Algumas mães por algum motivo têm filhos grandes. É raro um caso assim. A diabetes gestacional, que atinge a mãe, é diagnosticada durante o pré-natal, controlada com uma dieta alimentar e quase desaparece depois da gravidez. A criança deve ser acompanhada normalmente, mesmo a macrossomia não sendo um risco para a saúde dela”, aponta a pediatra.


O caso chamou a atenção de enfermeiras e também do médico que fez o parto.



Gabrielly Trevisan Ferreira, nasceu de cesárea no dia 19, no Hospital Universitário de Cascavel, com 5,720 quilos e 54 centímetros (Foto: Arquivo Pessoal)



“O médico disse que nunca tinha visto nada igual”, conta a mãe, Maiara Trevisan Ferreira, de 36 anos, que mora em Formosa do Oeste. Ela explica ainda que não teve qualquer problema durante a gravidez, exceto uma infecção urinária e o fato de ter produzido muito líquido amniótico, como se estivesse esperando gêmeos.

Por conta do peso da criança, a gravidez, a terceira de Maiara, foi considerada de risco.

Já Grabielly se desenvolveu normalmente. Porém, em função do crescimento além do normal, ela também nasceu com o coração maior. Por conta da cardiopatia, ela ainda segue internada e sendo acompanhada pelos médicos. A expectativa é que em breve ela deixe o hospital.

“Para os órgãos, este crescimento não é tão bom. Mas, ela está recebendo o tratamento e os cuidados necessários e já até emagreceu 600 gramas, o que é melhor ainda para o desenvolvimento dela, explicou o médico. É comum que as crianças percam peso logo depois de nascer. E, no caso dela, acaba perdendo mais ainda”, disse a mãe.
Maira lembra ainda que o filho que hoje tem cinco anos nasceu com o mesmo tamanho de Gabrielly, 54 centímetros, mas com pouco mais de 4,2 quilos. A primeira filha, agora com 15 anos, nasceu com 3 quilos. Com três filhos, o que ela considera sificiente, decidiu fazer laqueadura.




fonte G1


Notícias de Guarapuava e Região. Contato: Email: guarapuavanonoticias@gmail.com guarapuavanonoticias@gmail.com