Visite Paranaense Humor e Noticias

BI CAMPEÃO

BI CAMPEÃO
COPA PMPR
script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js">

Colaborador

Colaborador
Vereador - Elias Rodovanski

STUDIO SOUL - ÁUDIO E VIDEO

STUDIO SOUL - ÁUDIO E VIDEO
FONE: 3036-1881 OU 9967-7134

Publicidade

MARINA BOESE SUSHI DELIVERY

MARINA BOESE SUSHI DELIVERY
30354986

quarta-feira, 28 de setembro de 2016



A Polícia Militar (PM) foi acionada pelos funcionários da Previdência Social, prédio que fica no Centro de Curitiba, na manhã desta quarta-feira (28). Uma contribuinte teve benefício do auxílio-doença negado e agrediu uma médica perita. A PM foi acionada e encaminhou a mulher para o 1º Distrito Policial.
A confusão aconteceu na sede que fica na rua João Negrão esquina com a rua XV Novembro. Várias pessoas que estavam no local viram o episódio e ouviram os gritos da mulher. “Ela ficou nervosa aí, negaram o benefício pra ela. Ouvi os gritos, foi um fervo. Ela estava muito nervosa, gritava. Parece que agrediu a médica. Ela perdeu a cabeça, às vezes você contribui, contribui e quando precisa fica sem. Não sei se é esse caso, mas tem aqueles que recebem sem precisar, também”, contou um trabalhador que está na fila aguardando atendimento desde as 8 horas.
Assim que a mulher partiu para cima da médica, foi contida por outros profissionais. A polícia chegou em poucos minutos e encaminhou a mulher para a delegacia. O delegado Pedro Machado disse à Banda B que a mulher foi liberada e o caso será encaminhado à Justiça. “A perita contou que essa mulher foi atendida um dia anterior e tinha revogado o benefício dela. A mulher se exaltou, agrediu a médica e alegou que o segurança do INSS agiu com violência, também, e todos serão ouvidos”, contou.
A contribuinte assinou um Termo Circunstanciado (TC), por ser crime de menor potencial ofensivo, e foi liberada.
Retorno
A Banda B entrou em contato com a assessoria de Comunicação Social do INSS e recebeu a seguinte nota oficial:
“Foi registrado Boletim de Ocorrência na Polícia Civil contra uma segurada que agrediu fisicamente um médico perito da unidade. A segurada teve o benefício de Auxílio-doença negado pela Perícia Médica por não ter sido constatada a incapacidade para o trabalho.
Ressaltamos que os servidores do INSS devem cumprir estritamente o que manda a Lei. É isto que a população deve esperar e cobrar de todos os servidores públicos, sejam eles das esferas federal, estadual ou municipal. Todos os cidadãos, no entanto, em caso de discordarem da decisão do INSS, tem garantido, também por Lei, o direito de pedirem a reavaliação administrativa dessa decisão. Para isso, existem os Pedidos de Prorrogação de Benefício e de Reconsideração para os benefícios de Auxílio-doença e também o Recurso à Junta de Recursos da Previdência Social, que são instrumentos para que o resultado da análise médica seja revisto.
A agressão a servidores, que se encontram no cumprimento de suas atividades, assim como os danos ao patrimônio público, são crimes passíveis de punição e não colaboram em nada para a reversão de uma decisão administrativa do INSS”, finaliza a nota.

Fonte:RedeSul


Notícias de Guarapuava e Região. Contato: Email: guarapuavanonoticias@gmail.com guarapuavanonoticias@gmail.com